sábado, 1 de julho de 2017

Palavras


Não sendo o que quero dizer, mas falo agora sobre fazer ou não fazer algo, não é para justificar isto ou aquilo em minha vida, pois com certeza a ação serve para determinar o seu futuro, se deixar de agir nunca será possível concluir o resultado, pois não o fez, isto causa sentimentos de vazio, falta, incerteza e até arrependimento. Entretanto, agir traz resultados positivos ou negativos, arrependimento ou satisfação, mas de qualquer forma são resultados, experiências, lembranças.
Quando a gente se dá conta de que se tem mais passado do que futuro esta visão no presente fica diferente, um pouco mais sensível e fazer algo justificaria sim, pois deixar de fazer não gera resultados, experiência e muito menos lembranças.
Se eu falar de mim, sobre minhas experiências, saberá que deixei de fazer poucas coisas que eu quis fazer na vida, se tratando de coisas fáceis e possíveis, pois tinha vontades ocultas, grandes, inimagináveis para uma jovem que nasceu e cresceu em uma cidade tão pequena como a minha, pelo menos era isso que eu pensava, era o que eu ouvia e como fui orientada, mas hoje vejo que não posso me esconder atrás destas desculpas e assumir que não me esforcei para realizá-las. Eu pensava sim, que tudo isso era impossível, mas o que me faltou foi coragem, comprometimento comigo mesma, com meus sonhos, fui acomodada e vivi conforme as circunstâncias, fiz o que me pareceu mais fácil.
Não me arrependo, não posso reclamar da vida que tive e do que realizei,  porém não tenho muitas lembranças que gostaria, não tenho resultados daquilo que deixei de viver, pois não tentei, por outro lado tenho lembranças que resultaram de uma vida que não programei, não sonhei, não desejei, simplesmente vivi.
Vivi o que me foi permitido, estabelecido, vivi o que estava a mão, o que estava fácil.
Fui covarde, não consegui dar vida aos meus sonhos, nem as minhas vontades, como consequência disso não tenho lembranças ou resultados de esforços, porque não fiz nada para realizá-los.
Hoje quis falar sobre isto, pois tive um desejo enorme de compartilhar meus sentimentos, não quero que você  se identifique, apenas entenda que cada pessoa é única e unicamente louca em seus anseios. Já escrevi muito sobre sobre mudar de vida, ter mais motivação, determinação, ter foco, recomeçar, mas é assim, apenas escrevo, não faço, não faço porque não quero fazer, não tenho coragem ou não sinta necessidades de realizar algo muito esplendido, apenas quero viver, pra mim hoje já é uma honra apenas o fato de estar viva, se conhece alguma coisa sobre a minha trajetória e alguns dos meus textos, sabe do que estou falando.
Outro dia escrevi que existem pessoas que vivem sonhando e outras que sobrevivem sem sonhos, acho que sou uma sobrevivente, talvez eu tenha certeza disso, mas não me julgue.
Certamente que hoje tenho muito mais passado ainda, meu presente está parado e meu futuro pode nem chegar, mas se acaso chegue, certamente continuarei sem ter lembranças e experiências de esforços e  muita determinação, é curioso como me resumo e me comparo, a impressão que tenho hoje é que meu presente é como a interpretação de um sonho sobre um guarda roupas vazio com  paredes, portas e gavetas rabiscadas por dentro e por fora, com meus escritos, pois é assim que me sinto, só palavras, minhas únicas lembranças, sem experiências que almejei, sem lembranças fantásticas só fantasiosas. Não criei nada, não ajuntei nada, não consegui me reunir e nem permanecer unida a nada ou alguém, apenas as palavras me acompanham.
Se esta for a minha sina, se era pra ser assim, aceito grata, mas não satisfeita com a fraqueza, receio estar me revelando por causa de algo muito superior que me criou para que eu fosse muito mais que sou, muito mais do que me tornei e que esteja decepcionado com o resultado do que vê em mim.
Eu me sinto como se estivesse em um labirinto com paredes de arbustos espinhosos e entrelaçados  como os que vemos nos filmes e desenhos animados, onde fico parada no meio para não me perder ainda mais, aguardando que algo aconteça, que as paredes desapareçam de repente, para que eu saia dali e veja o que existe além dele. Eu me sinto impotente para levantar e andar procurando a saída e me perder, ficando ainda mais frustrada e exausta, então, pra mim é cômodo permanecer ali.
Não pense que estou deprimida ou angustiada, esta é a maneira de me expressar, apesar de minhas palavras serem duras e até mesmo um pouco amargas, só sou capaz de escreve-las porque estou feliz e segura, seja lá o que for que tenha acontecido no decorrer de minha existência para a felicidade se manifestar na solidão, fico satisfeita, pois poderia ser muito pior, poderia estar só e infeliz.
Pois de tudo que fiz ou não fiz, realizei ou não realizei, tenho a sensação de que talvez não gostaria de saber outros resultados, sou feliz assim, um guarda roupas aberto, sem nada dentro, só palavras.
Postar um comentário